segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

ALEX MEIRELLES: MUSICO OU MAGO?

È comum em conversa com músicos de uma determinada praia ou estilo não conseguirmos perceber uma identidade com precussores e/ou bambas do estilo.

Vários grupos de reggae, principalmente, os atuais, contratados por gravadoras ou não, conhecem e tem como maior referência apenas Bob Marley.

Os ligados ao pagode, tetra neto, do samba, ao ouvir falar em Geraldo Pereira, Wilsom Batista e Noel Rosa, sorriem dizendo sem a menor vergonha, que nunca ouviram falar dessa galera.

E assim segue caminhando a música brasileira em sua evolução com seus novos astros, que preocupados com o visual e a imaaaaaaaagem ....

É como á toda regra aplica-se a óbvia exceção, destaco a obra e a pesquisa de Alex Meireles que segue com quatro trabalhos já lançados (Autofocus,Radio Random,Murundu e Mafuah) e atalmente barulha com mais tres que ja assam no forno da masterização, junto ao Marko Susano ele viaja com um trabalho que é só ao vivo embora algumas músicas já tenham sido gravadas em outras ocasiões.O nome do trabalho é Atarashi, que em japonês significa filho novo.É também o nome do último disco do Suzano.


Este gentilíssimo músico, Alex Meirelles, com quem felizmente tive a oportunidade de compartilhar da presença animada e por vezes engraçada, em ensaios e shows do Cidade Negra...Descansa a batuta os dedos e a cuca para me conceder a entrevista que segue abaixo...

ALEX MEIRELLES

1.Quando o conheci você tocava com o Cidade Negra. O que você anda fazendo agora?

Continuo tocando no Cidade Negra e ando colocando meus projetos em ordem.

2. Você tem um trabalho pra lá de especial, espacial e experimental com o percussionista Marcos Suzano, como rolou esse encontro? Esse trabalho está eternizado em gravação? Qual é o nome do trabalho? Quantos trabalhos você tem gravados?

Eu e Suzano nos conhecemos quando Paulo Moura me sugeriu montarmos uma banda que tocasse afro moderno, foi indicação do próprio Paulo Moura e eu achei ótimo porque já tinha ouvido falar dele através do Ronaldo Tapajós.
O trabalho que tenho com o Suzano é só ao vivo embora algumas músicas já tenham sido gravadas em outras ocasiões.O nome do trabalho é Atarashi, que em japonês significa filho novo.É também o nome do último disco do Suzano.
Como compositor e intérprete tenho quatro discos. Autofocus,Radio Random,Murundu e Mafuah, além destes já estão em fase de masterização mais três, um também com o Paulo Moura & Teatro do Som.

Como músico acompanhante fico feliz de ter participado mais de cinqüenta, só com o Cidade Negra dez, se não me engano.Como produtor Cinco discos apenas, inclusive um com Paulo Moura (Estação Leopoldina, indicado ao Grammy),Como artista plástico fazendo a capa, três.

3. Paulo Moura se foi recentemente. Vocês tem uma onda juntos né? Como foi este encontro?

Paulo Moura , eu conheci num projeto Pixinguinha que fizemos com Antonio Carlos & Jocafi e Roberto Silva.
Fizemos de tudo um pouco em termos de música, aqui em casa era uma central de encontros, porque morava sozinho e tinha uma grande sala com um piano, um lugar precioso para ficar à vontade com a música.Paulo Moura logo montou a orquestra de saxofones aqui em casa.Trouxe a Nara Leão e aqui ensaiamos o disco "Meu Samba Encabulado", um dos últimos dela.E assim foram ensaiados muitos discos e shows,trilhas para filmes, teatro, festivais.Aqui foi montada a Ociladocê, com Ricardo Feijão(bx) , Marcos Suzano(perc)Jovi(perc)Carlos Negreiros(perc),Paulo Muylaert(guitarra),eu no teclado, e Paulo Moura no Sax e Clarineta.Foi uma época muito fértil e feliz.Hoje estou com dois Cds gravados com ele que ainda não saíram.

3. Quais as influencias do Alex Meireles?

4. . O que Alex Meireles mais ouve? E o que está ouvindo no momento?

Minhas influências são muitas, vindas de muitos gêneros diferentes e de outros cantos do mundo.Mas tenho os mestres em seus próprios estilos como fonte de alimentação.
Eu escuto música compulsivamente escuto Jazz, Rock, Música erudita, Música eletro acústica, Eletrônica,Reggae Ragga MPB, Americans Big Bands,Música Indiana , Romena, Africana ,Árabe, música de conserto e ando mesmo escutando os novos artistas.aqueles que tocam computador(Amom tobim,Twerk,Pole, Autechre,Aphex Twin,Burial, The Future sound of London, Nine Inch Nails e muito mais, mas muito mais mesmo.

5. Tenho recebido seus imeius e nele percebo uma grande indignação de sua parte. O que está faltando ao Mundo? O que está faltando ao Brasil?

Falta inteligência, instrução, cultura.
Ao Brasil falta parar de mentir, consciência, educação coisas que funcionem.Quase nada funciona direito.

6. Pra onde caminha o pop nacional? Você está satisfeito?

Acho que caminha para aquelas duplas sertanejas. Agora então já se tem até uma desculpa para o carioca não se sentir em Barretos.O Sertanejo Universitário,que é tecnicamente igual ao outro ,mas carrega a palavra universitário e isso basta para o ouvinte não se sentir caipira.Também tem outros segmentos de música pop, mas são basicamente compostos de clichês musicais, enfim um imita o outro coisa que nos anos 60 e 70 era feio.Cada um tinha que cantar diferente, ter uma estética diferente, as bandas eram diferentes entre si,a própria MPB era diferente entre si, as faixas dos discos eram mais variadas.Hoje por exemplo, todo o cantor de pagode tem voz anasalada e usam o mesmo tipo de ornamento musical, esteticamente quase um imita o outro, e assim em outros segmentos.Chico Buarque,Gonzaguinha , Gilberto Gil eram populares, os concertos do Egberto e Hermeto eram lotados, creio que se tinha muito mais ídolos cultos. Hoje pode ser qualquer um."É nóis".

7. A indignação a que me referí na pergunta anterior interfere em seu processo criativo? Não,o que faço é criar coisas diferentes desse mundo à minha volta.O problema é ter esse trabalho entendido.

8. Que equipamento você usa e qual é o de seus sonhos?

Uso muita coisa. Muitos tipos de teclados diferentes mas o que eu acho mais prático é o lap top com as versões virtuais dos teclados clássicos.

9.Que musica você queria ter feito?

"A Sagração da Primavera" de Igor Stravinsk ou Romeu e Julieta de Tchaikovsk.

E qual mais gosta de tocar?

Sereia do Leblon que é minha e foi gravada por Paulo Moura no disco Nocturnes, feito na Alemanha.

10. Grandes parceiros que já teve e quais gostaria de ter?

Paulo Moura , Marcos Suzano, Mike Ryan. São parceiros que incentivam a idéia quando ainda é pequena e feinha e ajudam a fazer ficar formosa e madura.Não perco a liberdade em nenhum segundo.

CONSIDERAÇÕES: fique a vontade para explanar.

QUAL A TRILHA MUSICAL DESTA ENTREVISTA: favor indicar Sereia do Leblon com Paulo Moura ou Marina com P.Moura e Ociladocê.


Um comentário:

rodrigo disse...

Alex Meirelles é o cara.... grande musico e grande pessoa...